Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Summer Girl #Capitulo 6#

por Silver Sky, em 29.09.13

 Capitulo 6

Chegamos a praia e deparamo-nos com ambiente bastante agradável. As pessoas dançavam divertidas ao som da música enquanto conversavam animadamente e bebiam as suas bebidas (sem álcool, 100% fruta). Eu tinha vestido um biquíni preto e tinha uns calções brancos. Alexandra tinha um biquíni branco e uma minissaia amarela e Delfim vestia uns calções verdes e um t-shirt branca.

- Que seca! Bebidas sem álcool! Só podem estar a gozar comigo! - refila Alexandra.

Eu olho para ela, com um olhar de reprovação.

- Só estava a gozar, priminha! - disse ela com um sorriso, virando-me as costas e misturando-se na multidão de pessoas.

- Vamos buscar uma bebida? - pergunto a Delfim que estava distraído a olhar, se não me engano para Maria.

- Delfim! - chamo por ele.

- O que foi? - pergunta ele assustando-se.

- Tu gostas dela? - pergunto olhando para Maria.

- Não. - responde de rajada.

Mas para mim aquele "não", mais parecia um "sim".

- Se gostas dela, deverias ir falar com ela. Tens que arriscar, Delfim. Tens que lutar por aquilo que queres.

Delfim olha para mim e de seguida olha para Maria que falava alegremente com a sua irmã Jéssica.

- Sim, tens razão. Vou tentar. - responde virando-me as costas e caminhando na direcção de Maria.

A abordagem foi tímida, mas Maria deixou-o logo a vontade e passado alguns segundos eles conversavam animadamente, conseguindo ver sorrisos e ouvir gargalhadas. Estava contente por o meu primo, ele merecia! Fui buscar um sumo de laranja a uma barraca de bebidas que estava ali perto e para dizer a verdade não fiquei sozinha por muito tempo. Tyler apareceu, nuns calções de banho brancos, com uma t-shirt também branca. Os seus olhos brilhavam como se fossem duas estrelas. Ele estava bonito.

- Olá. Ainda bem que vieste. - disse ele sorrindo.

- Olá. - respondi com um sorriso.

- O que estas achar da festa? - perguntou ele.

- Está a ser óptima. - digo bebendo um pouco do meu sumo.

- Ainda bem, que estas a gostar. Porque para dizer a verdade, tenho uma surpresa para ti. - disse ele a sorrir para mim.

- O quê? - pergunto curiosa.

- Já vais ver? - responde agarrando no meu copo e poisando na mesa, depois agarra na minha mão e leva-me até onde as pessoas estavam a dançar.

- A surpresa é dançar? - pergunto confusa e ele sorri para mim, com um sorriso maravilhoso.

De repente a musica que estava a tocar pára e começa a tocar "Summer girl", a música que eu estava a ouvir no meu mp3 no outro dia na praia e que ele também ouviu. Mas como é que ele se lembrou?! Estava surpreendida e feliz por a minha música preferida estar a tocar.

- Dançar ao som de "Summer girl". - responde sorrindo para mim  e eu envergonhada sorri-o também.

Sem dar conta estava a ser levada pela música. Em passos pequenos e desajeitados estava a dançar com Tyler. Parecia que o mundo tinha desaparecido, que só estava eu e ele na praia. Olhei para os seus olhos azuis e imediatamente fiquei presa, deixando que Tyler me guiasse, não me preocupando com nada. O meu corpo estava bem próximo do seu, conseguia sentir o seu calor, conseguia ouvir o seu coração a bater tão normal e calmamente, que me fazia inveja porque o meu estava a acelerado como na outra noite no bar "Mar Azul". Os nossos lábios estavam bastante próximos. Seria agora que o beijaria?! Era agora?! Mas não sabia se era aquilo que queria?! Só sabia que estava enfeitiçada por este rapaz, mas o que sentia por Luís ( o rapaz de quem eu gostava, mas que ele não sabia dos meus sentimentos por ele), fazia-me sentir confusa. Fazia com que eu não soube-se o que realmente queria. Tyler aproxima os seus lábios mais dos meus, ficando poucos milímetros dos meus, mas este "quase-beijo" é interrompido com um balde de água fria em cima de nós.

- Parece que aqui as coisas estavam a aquecer! - diz o rapaz, que era amigo de Tyler ironicamente.

- João! - exclama Tyler.

De seguida olha-mos um para o outro e começamo-nos a rir. O fogo de artifício começa e ao mesmo tempo olhamos para o céu para ver o espectáculo de cores e sem dar conta estava de mãos dadas com ele. E para dizer a verdade estava a gostar de estar ali com Tyler, na festa, a ver o fogo-de-artifício. Mesmo me sentindo confusa com os meus sentimentos.

 

***

Era de manhã e estava-mos todos na cozinha a tomar o pequeno-almoço. Eu e Delfim estava-mos entretidos a comer a nossa taça de cereais a olhar para televisão ( que estava no canal dos desenhos animados). Eu sei já não tenho idade para ver essas coisas, mas distrai-me e faz-me rir. O meu tio estava a beber o seu café sem açúcar como sempre e Alexandra comia uma torrada e acompanhada por um copo de leite fresco.

- Então como foi a festa? Divertida? - pergunta o tio Edgar curioso.

- Sim. E que o Delfim o diga. - responde Alexandra ironicamente.

- Cala-te Alex. - murmura Delfim olhando para a irmã.

Eu sem conseguir conter, rio-me daquela situação. Era tão engraçado ver Delfim todo atrapalhado e apaixonado. Quem diria o rapaz "nerd", também se apaixona! Mas ainda bem para ele.

- E tu, Bia? Do que estas a rir-te? Por aquilo que vi a tua noite também foi bastante animada a dançar com Tyler....até tiveste direito a um balde de à fria. - ataca-me com uma expressão desafiadora e com uma voz irónica.

- Sim. Nem todos precisam de álcool para se divertir. - respondo ao seu ataque, sorrindo e ela revira-me os olhos, bebendo o seu leite.

- Álcool? - pergunta o meu tio preocupada.

- Não é nada, pai. A Bia adora fazer piadas. Sabes como ela é. - diz Alexandra com um sorriso, para que o pai engolisse aquela mentira.

- Sim. Ontem nem havia bebidas alcoólicas. - ajudei na mentira. Eu não queria que ela tivesse problemas com o meu tio. Era a minha priminha! Tinha que a ajudar!

De repente o meu telemóvel que estava no sofá começa a tocar, levanto-me e vou imediatamente atender. Era a minha mãe! Será que tinha acontecido alguma coisa? Ou eram só saudades? Duvido!

- Sim, mãe?

- Olá, querida. - responde com uma voz baixa.

- Está tudo bem? - pergunto.

- Eu e o teu pai não te queríamos preocupar, mas eu pensei que tinhas o direito de saber.

- O que aconteceu, mãe? - pergunto preocupada.

- O Luís foi assaltado ontem. - acaba ela por dizer.

- E ele está bem? - exclamo preocupada.

- Tem alguns ferimentos, mas está bem. - responde.

- Hum...está bem. Mesmo assim, eu vou já para aí.

- Querida não é preciso. - diz ela

- Mãe. Eu tenho que ir vê-lo. Para ficar mais descansada. - digo seriamente, mas bastante preocupada por causa de Luís.

- Está bem. Então cá te esperamos.

- Ok...adeus e beijinhos para ti e para o pai. - responde desligando o telemóvel.

Ainda não acreditar no que tinha acontecido, volto para a cozinha e sento-me.

- Está tudo? - pergunta o meu tio.

- O Luís, um amigo meu, foi assaltado. - responde olhando para o meu tio.

- Que cena. - diz Delfim desviando o olhar da televisão e olhando para mim.

- O que estas a pensar fazer? - pergunta novamente o meu tio.

- Eu vou a Owl city, ver como ele está.

- E quando vais? - pergunta o meu tio Edgar.

- Hoje. - responde como uma voz vaga.

- E vais voltar? Ou vais acabar por passar lá o verão? - pergunta Delfim triste.

- Claro que volto! Em breve cá estarei para animar novamente o verão. - respondo com um pequeno sorriso.

- Eu não acredito que te vais embora. Que vais abdicar do teu verão só para ires ver um amigo que sofreu um simples assalto. - pronuncia-se finalmente Alexandra.

- Não é um amigo qualquer. É o rapaz de quem eu gosto. - respondo olhando para a minha prima.

- Ainda pior vais-te embora por causa de uma rapaz que nem sequer gosta de ti e ainda por cima ignora-te. -diz ela com um ar arrogante, magoando-me.

- Alexandra! - repreende o meu tio com uma voz séria e autoritária.

- Deixa tio, não vale a pena. A Alexandra nunca vai entender. - digo, levantando-me e indo directamente para o quarto dela, fazer a minha mala.

***

Estava no quarto a fazer a mala, ou melhor a por as poucas roupas que tinha trazido ( mais biquínis) na minha mochila de viagem, quando Alexandra entra no quarto.

- Bia. Eu queria-te pedir desculpas. Não deveria ter dito aquilo. Fui estúpida. - diz ela com uma voz calma, aproximando-se de mim.

- Alex, eu não quero mais discutir contigo. - respondo olhando para ela. - Eu sei que para ti é difícil entender porque me vou embora por causa de um rapaz que não gosta de mim. Mas eu antes de me apaixonar por ele, era amiga dele. Ainda sou. E como amiga preocupo-me com ele.

-Eu entendo, prima. Quando se gosta de alguém...gosta-se e faz-se tudo por essa pessoa.

- Estas a falar a sério? O que se passa contigo? Estás apaixonada? - pergunto ironicamente confusa.

-Não. É que ultimamente, ando a ver demasiados filmes românticos. - responde a sorrir, e ambas dá-mos uma gargalhada divertida.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:27




Caindo das Estrelas

"Caindo das Estrelas" é o meu primeiro livro. Quem estiver interessado e quiser ler passe no site artelogy.com Obrigada