Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]


Chicago Speed #Capitulo 16# FIM

por Silver Sky, em 07.03.15

 

Capitulo 16

 Os dois estavam a entrar na ponte, divertidos a ouvir e a cantar as músicas que passavam no rádio, quando de repente um carro bate na parte de trás do Porche.

-O que foi isto? – pergunta Emmy assustada.

Joffrey olha através do espelho retrovisor.

-Rose. – responde Joffrey.

Rose volta a bater no carro de Joffrey.

-O que ele esta a tentar fazer? – pergunta Emmy, olhando para trás e vendo a loira.

-Matar-nos. – diz Joffrey agarrando com firmeza o volante do carro, tentando não perder o controlo.

A seguir Rose alcança o Porsche, colocando-se lado a lado. Um homem coloca-se de fora da janela e com uma arma começa a disparar contra Joffrey e Emmy.

-Cuidado! Abaixa-te! – grita Joffrey, protegendo Emmy com o braço.

 Joffrey perde o controlo do carro e despistam-se para fora da ponte, caindo na água.

 

Emmy acorda, depois ter parecido que tinha dormido uma eternidade. Olha para a frente e vê Joffrey a dormir com a cabeça em cima da cama e com a sua mão a agarrar a dela.

-Joffrey. – diz Emmy, numa voz fraca e rouca.

O rapaz acorda e levanta a cabeça, olhando-a com surpresa.

-Finalmente acordas-te! – diz Joffrey com um sorriso feliz.

-Quanto tempo estive em como? – pergunta a seguir Emmy.

-16 meses e três dias. – respondeu Joffrey.

-Estiveste a contar. – diz ela com um pequeno sorriso.

-Nunca deixei. És a única coisa de bom que me resta. – diz Joffrey, beijando depois carinhosamente a mão de Emmy.

-E a Rose?

-Ela foi presa e vai ficar por muito tempo. O meu pai fez questão disso. – responde Joffrey.

Emmy endireita-se e repara que Joffrey se encontrava numa cadeira de rodas.

-O que aconteceu as tuas pernas? – pergunta Emmy com um ar preocupado, olhando para Joffrey.

-Fiquei paraplégico…permanentemente. – responde Joffrey num ar sério. – É irónico não é? – A seguir esboça um pequeno sorriso.

-Joffrey… - diz Emmy, com um olhar triste e começando lágrimas aparecer nos seus olhos.

-Emmy, o que interessa é que estamos dos dois vivos. – diz ele com um sorriso nos lábios.

Emmy aproxima o seu rosto do dele e beija os seus lábios.

-Eu vou estar sempre aqui ao teu lado, Joffrey, como tu estiveste comigo durante 16 meses. – diz a seguir Emmy, olhando nos olhos de Joffrey.

-Eu sei, Emmy. – Joffrey sorri. – Vou chamar os outros, eles vão ficar contentes quando souber que acordas-te.

Joffrey na sua cadeira de rodas, sai do quarto e passado uns minutos aparecem Elliot, Sage, Jared e Anthony.

Elliot corre rapidamente para abraçar a prima.

-Tive tanto medo de te perder. – diz Elliot, largando depois Emmy.

-Eu já te disse, não te vais livrar de mim assim tão facilmente, priminho. – diz Emmy com um sorriso.

A seguir Sage aproxima-se de Emmy e abraça-a.

-Pregaste-nos cá um justo, filha. – diz Sage com um ar aliviado.

-Eu sei. Desculpem.

Depois segue-se Anthony que abraça Emmy e faz como de costumes uma das suas piadas e por fim Jared.

-O Andrew? – pergunta depois Emmy, olhando para todos.

-Ele esta a trabalhar. Mas eu vou-lhe ligar a dizer que tu já acordas-te. – responde Jared.

 

Toda a gente já tinha ido embora, Emmy tinha ficado sozinha no quarto. Joffrey queria ter ficado com ela, mas Emmy insistiu para ele ir para casa. Precisava também de descansar. Depois de ter ficado algumas horas a ver televisão a espera de Andrew, acabou por desistir. Ele nunca mais aparecia. Emmy desliga a televisão e no momento que se ia aconchegar na cama, a porta do quarto abre-se e Andrew aparece.

-Andrew! – diz Emmy surpresa e contente ao ver o amigo.

Andrew entra e fecha a porta.

-Desculpa por não ter vindo mais cedo. Mas só consegui sair agora do trabalho e tive sorte de a tua mãe deixar-me ver-te por breves minutos.

-Não faz mal. – responde Emmy, sorrindo e esticando a mão na direção de Emmy.

Andrew agarra na mão de Emmy e senta-se na cama ao lado dela.

-Tive tanto medo que tivesses morrido. – diz Andrew com um ar triste.

-Mas estou aqui viva, Andrew. – diz Emmy com um sorriso feliz.

-Promete-me que não vais fazer mais nada imprudente. – pede Andrew, olhando para Emmy com um ar sério.

-Sim prometo, Andrew. Mas isso não inclui o Joffrey, pois não?

-Ele…

-Andrew, eu gosto dele. E o Joffrey já foi punido por aquilo que fez. Foi preso e agora ficou paraplégico. Dá-lhe uma oportunidade, por favor. – pede Emmy ao amigo.

Andrew suspira.

-Esta bem. Mas faço-o por ti. Porque te adoro.

-Eu também te adoro. – diz Emmy, abraçando Andrew.                                              

Fim

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:41


2 comentários

Imagem de perfil

De twilight_pr a 07.03.2015 às 15:58

QUE GRANDE CENA! ADOREI!!!
Foi super giro!
Imagem de perfil

De sacha hart a 09.03.2015 às 15:36

Oh, foi um belo final!

Comentar post




Caindo das Estrelas

"Caindo das Estrelas" é o meu primeiro livro. Quem estiver interessado e quiser ler passe no site artelogy.com Obrigada