Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]


PARASSÓMNIA "Capítulo 7"

por Silver Sky, em 08.02.17

twenty one pilots ->cliquem para ouvir a música. Espero que gostem!

 

Capítulo 7

Depois da conversa com o Dr. Baltasar, Ema sentia-se desanimada e para se distrair decide ir até a sala de convívio, onde os doentes passavam os seus dias inteiros a jogar jogos de cartas e de tabuleiros ou a pintar, ou a desenhar.

O ambiente estava calmo, mas Ema decidiu sentar-se num canto e ficar a observar tudo de longe.

Rapidamente reparou num homem, na casa dos quarenta anos, de barba preta, que com as suas unhas raspava a superfície de madeira de uma das mesas da sala de convívio.

Ema notou que os dedos do homem já se encontravam em carne viva. O que lhe provocou uma sensação de nojo, fazendo-a  desviar o olhar para o lado.

-Aquele ali é o Sr. Lobo, ele passa os seus dias a raspar as mesas, porque pensa que é um lobisomem. – disse um enfermeiro, aproximando-se de Ema. –Mas tens que o ver em noites de lua cheia. Passa as noites todas a uivar. O hospital nessas noites parece um autêntico circo. – acabou por dizer o enfermeiro com um sorrisinho irónico.

-Mas qual é mesmo o problema dele? – perguntou Ema intrigada, olhando novamente para o homem que agora muito quieto olhava em silêncio para a rua por uma das janelas da sala de convívio.

-Paranoia. Distúrbio de personalidade. Loucura. Que importa? – respondeu o enfermeiro com um encolher de ombros. – São tantas as possibilidades. Mas e tu porque estas aqui internada? – o enfermeiro olhou depois para Ema.

-O meu psicólogo diagnosticou-me algo chamado parassómnia. Infelizmente não tem tratamento.

De repente o Sr. Lobo passa por eles e quando olhou para Ema, atirou-se para os pés dela, gritando com uma expressão desesperada e assustada:

-POR FAVOR, NÃO ME MATE!

Dois enfermeiros rapidamente agarraram no Sr. Lobo e levaram-no para fora da sala de convívio.

-Tu estas bem? – perguntou preocupado o enfermeiro a Ema.

-Sim. – respondeu Ema ainda a recuperar do susto.

XXX

Ema estava deitada na cama a olhar para o teto branco do quarto. Deixou escapar um suspiro. Sentia saudades de ouvir música. Mas não parava de pensar no Sr. Lobo e daquilo que ele tinha dito: “Por favor, não me mate!” Estava tão desesperado e aterrorizado. Mas o que ele queria dizer com aquilo? Talvez nada. O homem era louco. Se não fosse, ele não estaria ali internado.

Ema levantou-se da cama e foi até ao espelho. O seu reflexo assustou-a. Tinha um aspeto horrível. O seu rosto e lábios estavam pálidos como a cal e a volta dos seus olhos tinha dois enormes círculos roxos. Parecia uma morta-viva. De repente fez-se luz dentro da cabeça dela. Como não tinha pensado nisso antes?

Ema saiu do quarto apressada e foi até ao balcão de receção.

-Precisa de alguma coisa, menina? -perguntou a mulher atrás do balcão de feições simpáticas.

-Preciso de fazer uma chamada.

-Não é permitido os doentes fazerem chamadas.

-Mas é urgente. Um caso de vida ou de morte. – respondeu  Ema rapidamente quase suplicando. – Se não contar eu também não conto.

A mulher ficou alguns segundos a olhar para Ema. A ponderar o que deveria dizer.

- Ok. – respondeu finalmente a rececionista. – Mas apenas uma chamada e tem que ser rápida.

-Sim. Muito obrigada. – agradeceu Ema, sorrindo para a rececionista.

A mulher foi-se embora do balcão, deixando Ema sozinha que rapidamente marca um número de telemóvel no telefone da receção

Dinis atendeu ao segundo toque.

-Dinis! É a Ema.

-Porquê é que me estás a ligar? –perguntou Dinis do outro lado da linha. Ema conseguiu perceber uma certa confusão na voz do amigo.

- Eu sei que estamos meios chateados, mas eu preciso de um favor teu. – respondeu Ema com uma voz afável.

-Qual é o favor, Ema? – Dinis falou com uma voz fria e rígida

-Preciso que vás a minha casa. De baixo da minha cama existe uma caixa de papelão com coisas minhas. Entre elas está o diário da minha avó. Preciso que mo tragas ao hospital. E importante. Podes fazer isso, Dinis?

-Sim, posso.

-Obrigada. – agradeceu Ema, sorrindo.- Amanhã espero por ti na sala de visitas logo de manhã. Agora tenho que ir. Tchau – desligou a chamada.

 Olá o que acharam do capítulo 7? O que acharam do Sr. Lobo? E porquê é que a Ema quer o diário da sua avó? Obrigada por lerem

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:02


2 comentários

Imagem de perfil

De twilight_pr a 10.02.2017 às 17:28

Sr. Lobo... até é estranho ele se chamar assim e se achar um lobisomem :3
Entretanto, quero saber mais sobre o diária da sua avó... quero saber porque é que ela teve este clique assim de repente, porque realmente pareceu super interessante.
Acho que o enfermeiro ainda a vai ajudar e muito lá dentro ^^

Beijinhos grandes*
Imagem de perfil

De Silver Sky a 10.02.2017 às 20:52

obrigada :) ainda bem que gostastes do capítulo...o enfermeiro vai ter um papel muito mínimo :) bjs

Comentar post