Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]


PARASSÓMNIA "Capítulo 1"

por Silver Sky, em 28.12.16

 Twenty one Pilots cliquem no link para ouvir a música enquanto lêem o capítulo

Capítulo 1

Ema acordou sobressaltada. Tinha voltado a sonhar com o monstro de olhos vermelhos. Sonhado mais uma vez que o monstro lhe agarrara o tornozelo e a puxara pelo corredor escuro.

O seu coração estava disparado e o seu rosto coberto de suor.

Ema levantou-se da cama e caminhou até a porta do quarto. Hesitante, acabou por abrir a porta e olhou para o corredor escuro e vazio.

Nenhum monstro de olhos vermelhos.

Respirou de alívio e voltou a fechar a porta.

O quarto encontrava-se iluminado pela luz prateada da lua.

Ema caminhou a seguir até a janela e olhou lá para fora. Tudo estava calmo. A lua brilhava intensamente e Ema conseguia ver as crateras existentes na sua superfície, fazendo-lhe lembrar um lobisomem.

Afastou-se depois da janela e voltou-se a deitar na cama. Mas Ema não ia voltar a dormir.

Não podia permitir que tivesse o mesmo sonho. Não o queria.

Agarrou no seu telemóvel, que se encontrava em cima da mesa-de-cabeceira, e começou a ouvir as músicas que tinha na playlist para se manter acordada.

XXX

Ao primeiro feixe de luz de sol, Ema é vencida pelo sono. Agora não havia nada a temer. O sol tinha chegado e os monstros tinham voltado para os seus lugares escuros e sombrios onde sempre pertenceram.

Mas Ema acordou logo quando alguém bateu a porta.

Levantou-se da cama, saiu do quarto, caminhou pelo corredor e abriu depois a porta de casa.

-Olá, olá!

Era o seu amigo Dinis que entrou pela casa a dentro com uma caixinha cheia de bolos numa das mãos.

-Trouxe o teu preferido. Folhado com cobertura de chocolate. – falou Dinis com um sorriso animado e bem-disposto.

-O que estas aqui a fazer, Dinis?

Ema olhou para o amigo confusa.

-Vim trazer-te o pequeno-almoço. Eu sei que ultimamente não andas a comer nada. E também sei que hoje é a tua primeira consulta com o psicólogo e eu vou contigo. – Dinis sorriu.

-Não precisas! – Ema bateu bruscamente com a porta.

-Mas eu quero! – insistiu Dinis.

Ema virou costas e foi até a sala. Dinis seguiu-a.

-Porque, és tão chata?

XXX

O consultório do Dr. Baltasar Nunes era acolhedor, com mobília antiga e as paredes decoradas com prémios e diplomas que o psicólogo tinha alcançado ao longo dos anos.

Ema sentiu-se confortável naquele sítio. Dr. Baltasar parecia ser um homem bom e íntegro, mas mesmo assim Ema tinha as suas dúvidas.

-Então, Ema, como te sentes hoje? – a voz do Dr. Baltasar emanava segurança e calma.

-Bem.

-E queres falar sobre o quê? Algum assunto em particular?

Ema não respondeu. Não sabia ao certo do que queria falar. A sua cabeça era uma grande confusão. Parecia que os seus pensamentos estavam todos em guerra. Uma guerra sem sentido.

Dr. Baltasar agarra numa folha branca e num lápis e entregou-os a Ema.

-Desenha aquilo que estas a pensar agora. Por vezes é mais fácil desenhar ou escrever do que falar. – explicou o Dr. Baltasar, sorrindo para Ema.

Ema agarrou no lápis e começou a desenhar. No final pede uma caneta vermelha e finalmente entregou a folha com o desenho ao Dr. Baltasar.

O Dr. Baltasar olhou para o desenho e depois para Ema.

-Um monstro de olhos vermelhos. O que isso significa para ti?

-É o meu bicho papão. Ele aparece nos meus sonhos. – respondeu Ema com uma voz e olhar sombrio.

-E já faz muito tempo que sonhas com ele?

-Começou à três anos, mais ou menos. Começou do nada. – falou Ema nervosa. – Mas não acontece com muita frequência. Uma ou duas vezes por mês.

-E como são os sonhos?

-Maior parte dos sonhos, ele consegue apanhar-me e matar-me. Outras vezes eu consigo fugir…e as vezes, eu torno-me no próprio monstro de olhos vermelhos.

Dr. Baltasar abriu uma gaveta da sua secretária e tirou um pequeno caderno e entregou-o a Ema.

-Quero que escrevas neste caderno todos os sonhos que tiveres. E também quero que escrevas aquilo que sentiste quando estavas a sonhar e quando acordaste.

Ema assentiu com a cabeça e agarrou no pequeno caderno.

-Então, sendo assim, até a próxima consulta, Ema. – falou por fim o Dr. Baltasar sorrindo.

Ema despediu-se do psicólogo e saiu do consultório.

Sentado numa das cadeiras da sala de espera estava Dinis, quase a adormecer.

-A sério que ficaste a espera?

-Não me importei. – Dinis levantou-se. – Aproveitei e dormi a minha sesta. Tu sabes que adoro dormir à tarde. – acabou por exibir um sorriso.

-Não precisavas, Dinis. – Ema revirou os olhos com descontentamento.

-Mas conta lá, como correu?

-Normal. – respondeu Ema, encolhendo os ombros. – Uma consulta normal de psicólogo.

-E, vais voltar? – perguntou Dinis curioso.

-Sim. Acho que me pode fazer bem falar com o Dr. Baltasar.

Olá a todos. Aqui vai o primeiro capítulo. Espero que gostem e que queiram ler mais :)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:44


2 comentários

Imagem de perfil

De twilight_pr a 02.01.2017 às 17:14

Primeiro capítulo e gostei bastante.
Gostei principalmente da consulta que houve e de ela se ter aberto logo e ter contado sobre os sonhos.
E quando o Dinis apareceu e a acompanhou foi mesmo querido, já gosto dele ^^

Beijinhos e desculpa só ter vindo agora.
Imagem de perfil

De Silver Sky a 02.01.2017 às 22:17

Obrigada ainda bem que gostas-te do capítulo :) e não faz mal

Comentar post