Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]


Skinny Love #Capitulo 1#

por Silver Sky, em 12.07.14

CAPITULO 1

Becky estaciona a sua vespa azul no parque de estacionamento da escola dos Navegantes. Ela agarra no seu capacete também azul e na sua mala preta cheia de pins de bandas de rock e pop-rock e caminha na direção da entrada da escola. Becky era diferente de todas as raparigas que estudavam no Navegantes. Ela pensava de uma maneira muito diferente, ela era tão diferente que deu o seu toque pessoal ao uniforme da escola. Em vez de uma saia azul por baixo do joelho, Becky tinha uma minissaia, as meias de vidro deram lugar a umas meias cheias de buracos, os sapatinhos de vela eram umas all star pretas, a camisa branca estava por fora da minissaia, a gravata azul tinha um nó mal feito e para acabar, usava um gorro azul (sua imagem de marca). Já dentro da escola, Becky dirige-se a casa de banho das raparigas. Ela entra, pousa o capacete em cima onde do lavatório e tira o gloss da sua mala, passando depois pelos seus lábios. De seguida ela coloca o gloss novamente na mala e tira um charro e um isqueiro. Becky acende o charro e dá uma “passa”, de repente uma rapariga entra na casa de banho. Um tipo de rapariguinha que era uma santinha, que obedecia a todas as regras da escola, sem questionar nada, que vestia aquele uniforme ridículo sempre com um sorriso parvo na cara. Becky olha para a rapariga de cima abaixo e agarra no seu capacete.

- Bela saia. – diz ela com um sorriso sarcástico saindo da casa de banho.

No momento que está a sair da casa de banho, um rapaz moreno, de olhos castanhos, vestido com o uniforme da escola (calças de ganga, camisa branca, polo azul, gravata também azul e sapatos de vela) vai contra ela e o seu charro cai ao chão.

- Hei, anormal! Vê por onde andas! – reclama Becky com um ar arrogante olhando para o rapaz que ficou paralisado olhar para ela. – Não dizes nada, riquinho de merda?

- Desculpa. – acaba por dizer o rapaz.

- Não desculpo. E deves-me um charro. – diz Becky olhando para o charro, depois para o rapaz e vira-lhe as costas e vai embora.

Becky está prestes a entrar na sala onde ia ter a primeira aula, quando uma rapariga aparece á sua frente e dá-lhe um abraço.

- Susy, larga-me. – diz Becky com um ar sério, nada recetiva ao abraço.

- Oh, desculpa…tinha-me esquecido que tu não gostas de afetos. – diz Susy com um pequeno sorriso de arrependimento.

Becky olha para ela e limita-se a entrar na sala.

- Então como foram as tuas férias? – pergunta Susy atrás dela entusiasmada.

- Normais. – responde Becky com uma voz vaga sentando-se numa cadeira.

-As minhas foram incríveis. Paris é simplesmente incrível. – diz Susy sorrindo, sentando-se ao lado de Becky. – Os cafés, as lojas, os serões passados na companhia dos meus pais… - Susy continuava a tagarelar e Becky não prestava a mínima atenção, estava demasiada pedrada para ouvir as férias secantes da amiga.

De repente o professor Ricardo Barros, entra na sala de aula.

- Bom dia turma. Eu sou o professor Ricardo. Sou o vosso professor de Psicologia. – diz ele pousando a sua pasta na sua secretária.

A turma toda em coro responde ( exceto Becky):

-Bom dia, professor!

- Bem…eu vou fazer a chamada. – diz ele agarrando no livro de ponto de capa vermelha.

Ele começa a chamar pelos nomes até que chega finalmente a Becky.

-Rebeca Xavier? – pergunta o professor olhando para a turma.

- É Becky. – responde ela lá do fundo, com os pés em cima da mesa, como se estivesse na esplanada de um café.

- Muito bem Becky… - diz o professor olhando para ela. – Tira os pés de cima da mesa, se fizeres o favor.

A turma olha toda para ela e Becky olha seriamente para o professor, como se tivesse a desafia-lo. De seguida sem dizer uma palavra Becky finalmente tira os pés de cima da mesa.

- Obrigado. – agradece com um sorriso. – Agora Becky diz-me uma coisa sobre ti. – o professor olha para ela esperando pela sua resposta.

-Não gosto do seu bigode. Faz-me lembrar aqueles sem-abrigos bêbados. – responde ela com uma voz séria, olhando para o professor.

Susy ao ouvir aquilo começa a rir-se, mas quando se apercebe que ninguém estava a rir, ela pára, ficando a olhar para o resto da turma com um ar envergonhado.

-Bem…tu não respondes-te a minha pergunta. Mas… - o professor é interrompido por um aluno que se prenuncia.

- Desculpe professor, mas eu discordo consigo. Eu acho que ela respondeu. Ficamos a saber que ela não gosta de sem-abrigos.

Toda a turma olha para o rapaz incluindo Becky e apercebe-se que era o rapaz que tinha ido á pouco contra ela.

-E tu quem és? – pergunta o professor Ricardo, olhando para o rapaz que tinha falado.

- Eu sou o Leonardo Azevedo, mas os meus amigos tratam-me por Leo. – responde, olhando para o professor.

- E tu és o advogado dela ou o namorado para a estares a defende-la. – diz o professor de forma séria.

Toda a turma fica em silêncio a olhar para Leo e Becky.

-Nem uma coisa nem outra. – responde finalmente Leo, olhando por breves segundos para Becky, que tinha a cabeça baixa com o olhar fixo na mesa.

Passados noventa minutos, a aula acaba e o professor Ricardo manda a turma sair.

Becky sai da sala de aula e caminha imediatamente na direção da saída da escola.

- Hei, Becky! Espera! – diz Susy seguindo atrás dela. – Onde vais? Temos aulas.

- Tenho um compromisso. – responde Becky continuando a caminhar.

- Com quem? – pergunta Susy curiosa.

- Com um amigo. – responde Becky olhando para Susy e indo-se embora.

 

Becky estava no bar HD, sentada numa mesa a beber uma cerveja. De repente um rapaz loiro, com uma enorme tatuagem no pescoço e com uma casaca de cabedal preta, senta-se ao lado de Becky.

- Sempre vieste. – diz o rapaz com um sorriso.

Becky olha para o rapaz, mas não responde.

- Pensei que tinhas aulas. – afirma o rapaz.

- E tu estas a ver-me com cara de alguém que vai às aulas?! – responde Becky, dando um gole na sua cerveja.

- Com essa roupa… - diz ele com um sorrisinho olhando para Becky de cima abaixo.

-Mas Hugo, vamos ao que interessa. Tens o pó? – pergunta ela olhando para o rapaz.

Hugo Meireles o melhor amigo de Becky.

- Claro que tenho. Sou um rapaz de palavra, Becky. – diz ele mostrando um saquinho com um pó branco lá dentro.

Becky sorri olhando para Hugo. De seguida ela agarra no saquinho e coloca o seu dedo lá dentro, depois mete na boca passando pelas bochechas e pela língua. Depois ela dá o saquinho ao Hugo e ele faz exatamente o mesmo.

- Vamos arrebentar com este lugar! – grita Hugo levantando-se. – Francis põem a música mais alta. – pede Hugo gritando novamente.

Francis que era o dono do bar e também DJ aumenta o volume da música. Becky já totalmente minada levanta-se e começa a dançar no meio da multidão de pessoas que estavam também a curtir a música.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:25


9 comentários

Sem imagem de perfil

De Syrena a 12.07.2014 às 14:11

Gostei, parece-me que vai ser uma boa história :)
Agora que já tenho mais tempo livre vou ver se me actualizo nas outras histórias ;)
Beijinhos
Imagem de perfil

De Silver Sky a 12.07.2014 às 14:33

oh...obrigada :)
Imagem de perfil

De twilight_pr a 12.07.2014 às 14:19

Mal posso esperar para saber mais sobre esta história.
Adorei o primeiro capítulo e estou super ansiosa para saber mais :D
Beijinhos*
Imagem de perfil

De Silver Sky a 12.07.2014 às 14:33

obrigada :)
Imagem de perfil

De Pipa a 12.07.2014 às 15:11

Quero saber mais, fiquei interessada no Leo :)
Imagem de perfil

De Silver Sky a 12.07.2014 às 18:33

O Leo é um fofo :)
Imagem de perfil

De twilight_pr a 13.07.2014 às 13:19

Postei uma one-shot hoje ^^ espero que gostes :D
Imagem de perfil

De sacha hart a 14.07.2014 às 13:35

Gostei muito deste primeiro capitulo! A história começou bem interessante!
Imagem de perfil

De Silver Sky a 14.07.2014 às 14:43

Obrigada ainda bem que gostas-te :)

Comentar post