Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

New Blood

por Silver Sky, em 14.02.16

nEW bLOOD.png

Uma alcateia. Uma família. Agora dividida.

 Sinopse: Eles estão de volta. Apesar dos seus esforços para ficarem longe de problemas, eles não conseguem. É como se os problemas os encontrassem. Nesta continuação Mason e Mia vão ter que lidar com a ferocidade de Tessa Banks e Alex Quinn, dois lobisomens, que não aceitam o casamento entre eles os dois, devido a uma rivalidade antiga que existe entre as duas especies durante séculos. Natalie tenta ajuda-los mas (para não variar) acaba por piorar as coisas. Por outro lado Cedric tenta ajudar Kyle, com um grave problema, recorrendo a ajuda de velho amigo, Nathan Campbell, que não é mais nem menos que um bruxo milionário. Enquanto Jessy faz os possiveis para estar ao lado de Kyle, sendo também atormentada pela sua própria dor de ter deixado a sua antiga vida, incluindo os pais. Já Steven ainda continua a mentir a Megan sobre quem são os seus amigos. Com medo de perde-la e numa tentativa de a proteger. Por quando se entra no mundo das trevas não existe volta atrás.

PERSONAGENS:

Natalie Sullivan

Cedric Bash

Kyle Castiel

Mia Curtis

Steven Harker

Mason Sheldon

Jessy Forst

Megan Bower

Tessa Banks

Alex Quinn

Nathan Campbell

CAPITULOS:

Prefácio

Capitulo 1

Capitulo 2

Capitulo 3

Capitulo 4

Capitulo 5

Capitulo 6

Capitulo 7

Capitulo 8

Capitulo 9

Capitulo 10

Capitulo 11

Capitulo 12

Capitulo 13

Capitulo 14

Capitulo 15 FIM

Obrigada por lerem esta história. A continuação está para breve :).

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:42

New Blood - Capitulo 15 FIM

por Silver Sky, em 11.12.15

 

 

Capitulo 15

Kyle encontrava-se sentado no sofá a ver um jogo de futebol, quando de repente a porta do apartamento abre-se e Natalie entra.

-Olá, miúdo. – saúda Natalie com um sorriso, pousando a sua mala no chão.

-Natalie! – exclama Kyle com um sorriso feliz, levantando-se do sofá e abraçando a amiga.

-Como estas? Tudo bem em relação a tua mãe? – pergunta Natalie, olhando para o rapaz.

- Sim. Cedric resolveu tudo. – responde Kyle com um sorriso.

-Claro que resolveu. – diz a morena com um sorriso. – Mas desculpa por não ter estado aqui contigo, Kyle.

-Eu, entendo perfeitamente. Mia, precisava de ti, Natalie. – responde Kyle compreensível. – Mas ouvi dizer que enfrentas-te uma alcateia de lobos. – diz depois com um sorriso divertido.

-Bem, não diria uma alcateia, mas dois lobos bem furiosos. E aquilo que eu aprendi é que não se deve enfurecer lobos que já estão furiosos.

-Como se tu fosses capaz de fazer isso. Tu irritas toda a gente. – diz Kyle, sorrindo.

-Verdade, Kyle. Ultimamente toda a gente me quere matar e eu não sei o porquê. – responde Natalie encolhendo os ombros.

Kyle ri-se.

De repente Jessy aparece.

-Oh, Olá, Natalie. Fico feliz que estejas bem. – diz Jessy com um sorriso.

-Olá, Jessy. – diz Natalie, abraçando a rapariga. – Onde esta Cedric?

-No quarto. – responde Jessy.

Natalie caminha em direção do quarto de Cedric, que também era o dela e abre a porta. Cedric encontrava-se deitado na cama a ler um livro.

-Estranho. – diz Natalie franzindo a sobrancelha. –Ultimamente encontro-te sempre deitado na cama a ler um livro. Algum problema querido? – finaliza a morena sarcasticamente.

-Finalmente chegas-te! – diz Cedric com um sorriso, usando a sua velocidade sobre-humana e agarrando Natalie pela cintura que prende as suas pernas a cintura de Cedric.

-E inteira. – diz Natalie, brincado, beijando depois o namorado.

-Fiquei surpreendido quando me disseste que não matas-te ninguém. – diz Cedric, pousando novamente Natalie no chão.

-E vais ficar ainda mais surpreendido com isto que vou dizer. – diz Natalie.

-O quê? – pergunta Cedric curiosa.

-Eu aceito casar contigo. – diz Natalie sorriso.

-A sério?! Mas o que te fez mudar de ideias? – pergunta Cedric confuso e ao mesmo surpreendido.

-A ideia que quase morri em Los Angeles. E também quero que tu sejas oficialmente meu. Mas a proposta ainda esta de pé?

-Claro! – Cedric volta agarrar em Natalie e beija. – E não te precisas de preocupar com o casamento. Nathan Campbell empresta-nos a sua mansão para fazermos lá cerimónia.

-Nathan, sempre muito prestável. – diz Natalie sorrindo.

 

A cerimônia foi simples com os amigos mais próximos do casal, mas Nathan fez questão em transformar o casamento numa enorme festa, convidando alguns amigos dele. Natalie e Cedric cumprimentaram os convidados que os felicitaram pelo casamento, incluindo os seus amigos. Mia estava felicíssima por eles, porque já muito tempo esperava por esta união formal, por outro lado Kyle fez uma das suas piadas para irritar Natalie no que resultou e no qual esta o ameaçou de morte, como de costume. Steven e Megan estavam contentes pelo casal e Mason também felicitou os recém casados, por outro lado Jessy animada quis saber onde seria a lua-de-mel. No qual Cedric respondeu Havai.

-Oh meu Deus! Estou tão cansada de sorrir! – desabafa Natalie para Cedric fazendo uma cara aborrecida.

-Nem me digas, nada. Acho que já não consigo fechar o maxilar. – diz Cedric passando a mão pelo queixo.

De repente Lana aparece toda sorridente.

-Então como está o casalinho? – pergunta Lana.

-Cansados de tanto sorrir. – queixa-se novamente Natalie agora para amiga. – Para a próxima faço como Mia e Mason e caso-me apenas no cartório.

-Para a próxima?! Uuiu! Tem cuidado Cedric! – diz Lana num tom divertido, piscando o olho o rapaz.

-Lana! Pára de agueirar já o meu casamento! – repreende rapidamente Natalie.

Lana apenas limita-se a rir.

-Agora a falar a sério, estou mesmo contente por vocês. Se almas gêmeas existem, vocês são a prova disso. – diz Lana sorrindo amavelmente.

-O quanto romântica está a minha amiguinha. – diz Natalie sorrindo divertida. – Viste passarinho verde?

-Tu sabes aquilo que eu penso do amor, Nat. Uma perda de tempo, amiga. – diz Lana num ar sério.

-Eu pensava o mesmo, Lana. E aqui estou eu, com um vestido de noiva e casada. – responde Natalie sorrindo divertida.

- Lá isso é verdade. Se algum dia me dissessem que tu irias estar casada eu diria que essa pessoa estava louco.

As duas riem-se.

-Mas obrigado Lana por vires. – fala por Cedric. – É sempre bom ver-te.

-Sim, o que tens feito e por tens andado? – pergunta Natalie curiosa.

-Bem, eu ultimamente estive em Boston, a tratar uns negócios do Giovanni. Ele lamenta não ter vindo ao vosso casamento, mas anda muito ocupado em Londres. – responde Lana.

-Oh, a sério!? Que pena! Nós teríamos gostado tanto tê-lo aqui. – diz Natalie sarcasticamente.

-Tu já disfarças-te melhor, Nat. – diz Lana com um sorriso.

-Quem disse que eu estava a disfarçar? – responde rapidamente Natalie.

Os três riem-se.

-Bem, eu vou andando. Vi ali um bonitinho junto ao buffet. – diz a seguir Lana com um sorriso maroto.

-Nada de mortes! – avisa rapidamente Natalie com um sorriso.

Lana assenta com cabeça, sorrindo, a medida que se afastava deles.

A seguir Natalie e Cedric começam a andar pelo jardim e vêm Arabella. Cedric faz rapidamente sinal a rapariga, que vai imediatamente ao seu encontro.

-Olá, muitos parabéns pelo casamento. Estava tudo muito giro. – diz Arabella, abraçando os dois.

-Obrigada, Arabella. – agradece Natalie com um sorriso.

-Ainda bem que pudeste vir. – diz a seguir Cedric, sorrindo depois.

-Não podia perder por nada deste mundo. Depois de vocês me terem ajudado com o Giovanni. – confessa Arabella, sorrindo também.

-E agora tu o que tens feio? – pergunta Cedric curioso.

-Bem tenho me mantido longe de vampiros com mais de 500 anos. – brinca Arabella. – E agora estou a viver em Atlanta. Acabei de abrir um pequeno bar e esta a correr tudo bem. Têm de ir lá um dia.

-Isso são ótimas noticias, Bella. – diz Cedric com um sorriso. – E com certeza que iremos lá fazer-te uma visita.

-Claro, mas tens que oferecer aqui umas bebidas ao amigos. – diz Natalie num tom divertido.

De repente Nathan aparece já um pouco bêbado. Para além de Nathan ser conhecido por ser um empresário milionário, ele também era conhecido pelas festas e bebedeiras que apanhava.

-Aqui, está o meu casal preferido! – diz Natahan com um sorriso divertido e feliz. - Estão a gostar da festa?

-Adorar. Principalmente a parte de eu não conhecer a maior parte dos convidados. – diz Natalie sarcasticamente.

-Fico feliz em ajudar. Porque meus amigos são vossos amigos. – responde Nathan com um sorriso.

Todos riem-se.

-Bem eu vou buscar alguma coisa para beber. Já volto, amor. – diz Natalie, beijando rapidamente os lábios de Cedric e depois indo-se embora.

Natalie dirige-se a mesa das bebidas e no momento em que se ia servir de um copo de champanhe, ela sente uma mão no seu ombro. Natalie vira-se para trás e dá de caras com Fabrício.

-Fabrício! – exclama Natalie apática. – O que estas aqui a fazer? Pensei que estavas em Moscovo. – diz a morena um pouco nervosa.

-Eu não vim aqui para te fazer mal ou ao Cedric. – diz Fabrício. – Vim aqui pedir-te desculpas por aquilo que fiz. Por ter magoado Cedric e por te ter magoado a ti. – tinha um olhar triste e arrependido.

-Na verdade a culpa foi minha. Eu brinquei com os teus sentimentos… - começa por dizer a morena, ainda mais nervosa.

-Tu, Natalie, és o meu amor épico. – diz Fabrício, olhando Natalie nos olhos.

-Não, Fabrício. Eu sou a rapariga que te partiu o coração. Tu ainda vais encontrar o teu amor épico. Acredita. – diz Natalie numa voz serena e séria.

-Mas desculpa. Perdoas-me? – pergunta novamente Fabrício.

-Sem ressentimentos. – responde Natalie com um sorriso.

Fabrício também sorri e vai embora, desaparecendo no meio das pessoas.

Natalie sozinha respira de alivio, mas de repente aparece Cedric.

-Tudo bem, Nat? Pareces um pouco pálida. Viste algum fantasma? –pergunta Cedric preocupado.

-O Fabrício esteve aqui.

-Como assim? – pergunta Cedric confuso.

-Ele acabou de sair daqui agora mesmo. – responde Natalie, olhando para Cedric.

-E o que ele queria?

-Pedir desculpas por aquilo que nos fez.

-Eu não acredito que ele teve esse descaramento de aparecer aqui no dia do nosso casamento. Eu devia mata-lo! – diz Cedric furioso e enervado.

-Cedric! – diz Natalie agarrando Cedric pelas mãos, tentando acalmar o marido. – Ele estava arrependido. Acredita. Até me disse que eu era o seu amor épico.

-E o que tu respondes-te?

-Que era a rapariga que lhe partiu o coração e que um dia ele vai encontrar o seu amor épico. – responde Natalie.

-E eu? Eu sou o teu amor épico? – pergunta depois Cedric num tom de voz sério, fixando o seu olhar em Natalie.

-Claro que és! Ainda tens dúvidas disso? – diz Natalie com um ar divertido, envolvendo o pescoço de Cedric com os seus braços e beijando-o.

-Ainda bem. – diz Cedric com um sorriso. – Porque tu és o meu amor épico. – Cedric envolve Natalie nos seus braços e beija-a.

FIM

NEW BLOOD chegou ao fim, mas espero que tenham gostado desta continuação. Porque a história deles ai da não acaba aqui :). bjs

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:10

New Blood - Capitulo 14

por Silver Sky, em 05.12.15

 

Capitulo 14

Los Angeles, 2013

A noite estava fria, o inverno tinha acabado de chegar. Tessa encontrava-se na praia, sentada sobre a areia a olhar para o mar infinito. Tinha-se tornado recentemente alfa, ainda estava de luto pela morte do seu pai, mas havia tanta coisa para fazer como alfa. E depois ainda havia Mason. Ele abandonara-os. A sua alcateia, a sua família.

De repente Tessa sente uma mão no seu ombro. Olha para trás e vê Alex.

-O que estas aqui a fazer? – pergunta Alex, sentando-se ao lado dela.

-A pensar no Mason. – responde Tessa.

-Já passou um ano, Tessa. – diz rapidamente Alex.

-Por isso mesmo. – diz a seguir Tessa, olhando para Alex. – Não tens saudades dele?

-Ele abandonou-nos. – diz Alex com um ar frio.

-Sim, mas não deixa de ser nosso amigo, Alex.

-Mason tinha razão sabes? – diz depois Alex, olhando para o mar.

-No quê? – pergunta Tessa curiosa.

-Ele não nasceu para ser lobisomem. E como covarde fugiu. Por isso ele não merece a tua piedade, nem a tua compaixão por ele. – responde Alex, olhando para ela.

-Sim tens razão, Alex. Mason abandonou-nos, por isso é como se tivesse morrido e se um dia ele se atrever a voltar ele vai-se arrepender. – diz Tessa com cum ar sério e confiante.

-Agora falas-te como uma verdadeira alfa. – diz Alex com um sorriso.

Tessa também sorri. – Mas Alex…- o sorriso dos lábios desaparece.

-O quê? – pergunta Alex.

-Promete-me uma coisa.

-Qualquer coisa, Tessa.

-Promete-me que nunca me deixaras. Prometes?

-Sim, eu nunca te vou deixar Tessa. Vou ficar aqui sempre ao teu lado, nos bons e maus momentos.

-Obrigada. – agradece Tessa.

Alex carinhosamente abraça Tessa beijando os cabelos dela.

 

Mason encontrava-se sentando no sofá, com o olhar fixo no chão. Mia senta-se ao lado dele, e coloca a sua mão no rosto dele, fazendo Mason olhar para ele.

-Mason…

-Eu quase o matei. Alex, meu amigo. – diz apenas Mason com um olhar cheio de culpa.

-Mas não o fizes-te. E isso é que importa. – diz rapidamente Mia.

-Porque Tessa parou-me a tempo. – Mason volta a virar a cara.

-Mason, olha para mim. – pede Mia, olhando para o marido. – Mason! – o rapaz finalmente olha para Mia. – Eu não quero que te martirizes mais com isso. Tu és uma boa pessoa. E sabes como sei isso? Porque consigo sentir aqui no teu coração. – diz Mia colocando a mão no peito de Mason.

De repente Natalie aparece com uma mala de viagem.

-Desculpem por estar a interromper, esse momento romântico. Mas era para dizer que já me vou embora.

-Já? – pergunta Mia surpreendida levantando-se do sofá.

-O meu lugar não é aqui. É em Nova Iorque. – responde Natalie.

-Nós levamos-te até ao aeroporto. – diz Mason, levantando-se também do sofá.

-Não é preciso eu chamo um táxi. – responde Natalie. A seguir ela despede-se dos dois com um abraço.

-Eu vou ter saudades tuas, Nat. – diz Mia com um ar triste.

-Também não exageres Mia. – diz Natalie olhando para a amiga. – Eu não vou mudar de continente. Nova Iorque é aqui mesmo ao lado. E podemos sempre ligar uma a outra e podes ir a Nova Iorque sempre que quiseres. – a morena sorri.

-Tu também, Natalie. Podes vir aqui sempre que te apetecer. Tu e os outros. – diz Mason sorrindo também.

-Bem, vou ter que ir mesmo. Se não perco o voo. Tentem não se portal muito mal. – diz Natalie com um sorriso divertido.

-Eu é que digo isso, Nat. Juízo, não tentes matar ninguém na minha ausência, ok? – diz a loira igualmente com um sorriso divertido.

-Mesmo que eu quisesse, Cedric nunca deixaria. – responde por fim Natalie sorrindo, despedindo-se uma última vez e indo-se embora.

 

Alex estava deitado no sofá, maior parte dos ferimentos já tinham sarado. Tessa aparece com um copo de água e entrega-lho.

-Bebe, precisas de te hidratar. – diz a rapariga com um ar preocupado, sentando-se depois aos pés de Alex.

Alex dá um gole e depois coloca o copo em cima da pequena mesa de estar.

-Tu vais ficar bem Alex. Nós vamos ficar bem. – diz Tessa, tentando parecer otimista. Mas a verdade é que a raiva corroía-lhe as veias.

-E agora o que vamos fazer, Tessa? – pergunta Alex, olhando para a mulher.

-Ficamos…

-Mas Mason quase me matou e tirou-te o poder de alfa. – diz rapidamente Alex enfurecido.

-Ele não me tirou nada. Eu dei-lhe o poder para salvar a tua vida. Mason é um covarde e uma vergonha. – diz Tessa numa voz séria.

-Devíamos ir embora da cidade. – diz o rapaz ajeitando-se no sofá.

-Não, Alex! Los Angeles é a nossa casa, nosso lar. Nós vamos ficar e lutar!

Para avisar que só falta um capitulo para New Blood acabar :/

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:27

New Blood -Capitulo 13

por Silver Sky, em 29.11.15

 

Capitulo 13

Kyle encontrava-se do outra lado da rua, a olhar para sua antiga casa. A casa onde crescera e vivera com os seus pais. Na sua cabeça passavam imagens da sua antiga vida. Os momentos felizes que passara com os seus pais e até as discussões com eles, que naquele momento pareciam ridículas. Mas tudo tinha mudado. Agora ele era um vampiro e nunca mais poderia voltar para casa. Porque os seus pais pensavam que ele estava morto e tinham que continuar a pensar assim.

De repente Jessy aparece ao lado dele.

-No que estas a pensar? – perguntar a rapariga, olhando para ele.

-Ser vampiro pode ter as suas vantagens. És imortal, és forte e veloz, mas para teres isso tudo tens que desistir da tua vida de humano. É como se desistisses da tua humanidade. – responde Kyle, olhando para o namorado.

-Lembras-te de me dizeres quando a dor da saudade ficar insuportável para te avisar e que iriamos para um sitio longe daqui? – pergunta Jessy.

Kyle assenta com cabeça.

-Então eu pergunto-te: a tua dor da saudade ficou insuportável?

-Sim, ficou. – responde o jovem.

-Então, vamos sair daqui, Kyle. – diz Jessy.

-Para onde?

-Para um sitio qualquer. – responde  Jessy com um sorriso.

-Sim, vamos. Vamos embora. – diz Kyle sorrindo também.

-Vamos. – diz Jessy voltando a sorrir.

A seguir Kyle abraça Jessy e beija-a carinhosamente no topo da cabeça.

 

Steven encontrava-se na parte fora do hospital a beber o seu café, enquanto olhava para o movimento da rua. Distraindo-se um pouco dos seus pensamentos que voltavam sempre a mesma questão: contar ou não contar a Megan sobre eles?

De repente Megan aparece.

-O que estas fazer aqui fora, querido? - pergunta a médica aproximando-se do namorado e tocando-lhe no braço.

-A fazer uma pausa. - responde Steven, olhando para ela.

-Ainda preocupado com Kyle? - pergunta Megan.

-Não, Cedric já resolveu o problema.

-Então porque ainda tens ai uma ruga de preocupação na tua testa. – observa Megan, olhando para Steven.

-Que ruga? – pergunta o médico atrapalhado passando a mão pela testa.

-Eu conheço-te Steven Harker. Passa-se alguma coisa. – diz Megan olhando seriamente para o namorado.

Steven olha para ela e a vontade dele era contar-lhe tudo. Mas não podia porque no minuto que conta-se a verdade, Megan iria embora. Deixava-o e Steven não estava preparado para perde-la.

-Apenas muito trabalho. Tenho minha agenda cheia. Muitos doentes. – responde Steven, sentindo um desconforto no coração. Ele detestava mentir para Megan.

-Eu sei o que é isso. Eu também ultimamente tenho tido muito trabalho. – diz Megan. – E que tal fizéssemos uma pausa no trabalho e tirássemos umas ferias?

-Caraíbas? – pergunta Steven um pouco surpreendido pela proposta de Megan.

-Porque não. Nós sempre quisemos ir lá e nunca tivemos oportunidade para tal. – diz Megan sorrindo depois.

-Então fica combinado. – diz Steven com um sorriso.

-Sim. – Megan sorri e vê-se rapidamente envolvida nos braços de Steven num abraço apertado.

 

A porta abre-se e Natalie, Mia e Mason entram disparados em casa, apanhando Tessa e Alex de surpresa.

-Surpreendidos por nos verem? – pergunta Natalie com um sorriso trocista. – Vocês esqueceram um pequenino pormenor. Aqui a Mia é metade bruxa. – diz a morena apontando para a melhor amiga com um tom de sarcasmo. – Agora eu vou cumprir aquilo que cumpri. Vou-te matar a ti, sua cabra e a ti também, seu cão mandado. – diz Natalie lançando um olhar ameaçador e malicioso a Tessa e Alex.

-Espera. – diz Mason colocando-se a frente de Natalie.

-O que estas a fazer Mason? Sai da frente para eu matar estes bastardos. – diz Natalie furiosa.

-Deixa-me resolver isto. – pede Mason.

Natalie olha para Mia que assenta com a cabeça.

-Esta bem. – responde por fim Natalie.

Mason vira-se depois para encarar Tessa e Alex.

-Vocês tem duas opções: tu dás-me o poder de alfa e Natalie não vos mata. – Mason ao proferir essas palavras, faz Natalie revirar os olhos. – ou tu não me dás o poder e Natalie mata-vos.

-Eu sou alfa por direito. Tu sabes disso! – diz rapidamente Tessa furiosa.

-Infelizmente não tens outra escolha. – diz simplesmente, mantendo uma voz séria e uma atitude severa.

-Pare isso acontecer vais ter que passar primeiro por mim! – grita Alex, transformando-se e atacando Mason, projetando contra a parede.

Mason furioso levanta-se. Os seus olhos ficam amarelos e os seus caninos enormes aparecem, como as suas grandes garras.

-Se é isso que queres! – Mason ripostei, soqueando Alex no rosto e fazendo este cair sobre a mesa, partindo em mil pedaços.

Alex coloca-se de pé num salto. Os seus olhos amarelos transbordavam raiva. Ele rapidamente investe noutro ataque, golpeando Mason no peito com as suas garras.

Mason rosna furioso e salta sobre Alex, mordendo no ombro. Alex no chão rosna de agonia. Mason sobre ele, começa a esmagar a garganta do amigo com as suas duas mãos. Alex volta ao seu estado normal e começa a ter dificuldades em respirar, perdendo quase os seus sentidos.

-PÁRA! – grita Tessa com todas as sua forças.

Mason larga o pescoço de Alex e volta ao normal, levanta-se e fica fixamente a olhar para as suas mãos cobertas de sangue. Parecia que o grito de Tessa tinha feito ele ganhar novamente consciência.

Tessa corre para junto de Alex, abraçando-o.

-Estas bem, querido? – pergunta a rapariga preocupada.

Alex limita-se a assentar com a cabeça, enquanto Mason olha para Mia e Natalie que permaneciam quietas no seu canto. A seguir Tessa vira-se para Mason.

-Tu queres o poder de alfa? – diz Tessa com um ar sério e cheio de raiva. – Pois bem, eu vou dar-to. Mas fica a saber , Mason, tu não és digno dele. Porque tu és fraco. – diz a rapariga com uma voz cheia de repugnância.

Os olhos de Tessa ficam amarelos e as suas garras aparecem.

-Estica o teu braço. – pede Tessa quase ordenado.

Mason faz o que ela pede e estica o braço. Num movimento rápido, Tessa crava as suas garras no antebraço de Mason e no momento que o faz, Mason ruge e os seus olhos ficam amarelos.

Tessa larga-o e a cor dos seus olhos volta ao normal, como as suas garras desaparecem.

-Ai tens. És um alfa, Mason. Mas Los Angeles é a minha casa e eu não vou lado nenhum. – diz depois Tessa, confiante, quase como uma ameaça.

espero que gostem do capitulo :) Jessy e Kyle parece que se vão embora :/ e Megan e Steven vão pelo memso caminho. E o que acharam de Mason? Da luta entre ele e Alex?

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:55

New Blood -Capitulo 12

por Silver Sky, em 25.11.15

 

Capitulo 12

Nathan vivia numa mansão a beira-mar, que lhe proporcionava uma bela vista. A praia e o mar a frente dos seus olhos todos os dias quando acordava. Entretanto Cedric, Kyle e Jessy tinham chegado a Hamptons, encontrando-se parados a frente da porta da mansão. Cedric bate a porta e segundos depois esta abre-se, aparecendo uma senhora, deveria ser a governanta da casa.

-Boa tarde. Eu queria falar com Nathan. Sou um velho amigo. – diz Cedric num tom educado e com um sorriso encantador.

-Entrem. – responde a governanta amavelmente. – O Sr. Campbell encontra-se no seu escritório.

Nathan era dono de uma das maiores empresas de automóveis de Hamptons, por isso fazia ele não era apenas um bruxo, ele era um bruxo milionário, com uma fonte de rendimento esgotável.

Os três entram na mansão e senguem a senhora que os leva ao escritório de Nathan.

O bruxo encontrava-se sentado na sua secretária a fumar o seu charuto cubano, enquanto lia o jornal desta manhã.

-Sr. Campbell este Sr. diz conhece-lo. – diz a governanta de forma educada.

-Cedric! – exclama Nathan com um sorriso, olhando para o vampiro. – Meu velho amigo! – levanta-se e abraça  Cedric, enquanto a governanta sai do escritório, para dar privacidade.

-Também é muito bom ver-te Nathan. – diz Cedric com um sorriso, depois do o bruxo o largar.

-E a Natalie e a Mia não vieram? – pergunta Nathan.

-Elas tiveram que resolver um problema. –responde Cedric.

-Mas esta tudo bem? – pergunta novamente Nathan com um ar preocupado.

-Sim.

-E então tu e a Natalie já deram o eterno sim? – pergunta Nathan com um sorriso.

-Não. – responde Cedric.

-Que pena. – diz o bruxo um pouco triste. – Tendo em conta a vossa história e do tempo que vocês já estão juntos, pensei que já se teriam casado.

-Ainda não houve oportunidade para isso. – diz Cedric encolhendo os ombros. – Mas Mia casou-se ano passado com um lobisomem. – diz por fim o vampiro com um sorriso.

-Fico feliz por ela. – responde o bruxo com um sorriso. Depois repara finalmente em Kyle e Jessy que se encontravam na entrada do escritório. – E quem são estes jovens?

-Kyle e Jessy. – responde Cedric olhando para o jovem casal.

-Vampiros? – pergunta Nathan olhando também para os dois jovens.

-Sim. E é por isso que estamos aqui. Eu preciso de um favor teu. – diz Cedric, olhando para o amigo.

-No que poder ajudar. – diz Nathan com um sorriso.

-Os pais de Kyle pensam que ele esta morto. Mas a uns dias atrás a mãe dele viu-o e eu queria saber se tu consegues fazer com que ela se esqueça de o ter visto.

-Claro que sim. Apenas preciso de uma foto dela. – responde Nathan, olhando depois para Kyle.

Kyle tira a sua carteira de trás do bolso das calças de ganga e agarra na fotografia dos pais que trazia sempre consigo. A seguir entrega a fotografia a Nathan.

-O melhor também é fazer o teu pai esquecer. Provavelmente a tua mãe mencionou com ele de ter visto. – diz Nathan olhando para Kyle.

-Sim é o melhor. – diz Kyle, assentindo com a cabeça.

Nathan coloca a fotografia em cima da secretaria, acende uma vela e depois coloca a sua mão sobre a fotografia, fecha os olhos e começa a dizer uma palavras em latim. A chama da vela cresce e de repente apaga-se.

-Pronto esta feito. – diz Nathan, olhando para Kyle. –Os teus pais continuam a pensar que estas morto. O teu segredo continua em segurança, rapaz. – o bruxo sorri e depois entrega a fotografia ao rapaz.

-Obrigado, Nathan. – diz Cedric.

-Sim, obrigado mesmo. – diz Kyle sentindo-se mais aliviado, como se tivesse tirado um enorme peso de cima.

-De nada. Fico feliz em ter ajudado. – Nathan sorri. – E vocês querem ficar para beber ou comer alguma coisa?

-Obrigada, mas não. Precisamos de regressar. – responde Cedric.

-Esta bem. Mas volta sempre que quiserem. – diz Nathan sorrindo novamente. – E ah Cedric, quando tu e a Natalie resolverem casar eu feliz em emprestar a minha casa para fazerem a cerimonia e a festa.

- Obrigado Nathan. Se resolvermos casar com certeza que vamos aceitar a tua oferta. – agradece Cedric com um sorriso.

Os três despedem-se de Nathan e fazem-se novamente a estrada, direção Nova Iorque.

 

Natalie, Mia e Mason encontravam-se acorrentados ao chão. Correntes de ferro envolviam os seus pulsos e tornozelos. Tinham acabado de acordar e devido a verbena e wolfsbane sentiam-se fracos. Tessa encontrava-se de frente para eles, observando-os, enquanto Alex espalhava gasolina pelo chão.

-Tessa, tu não precisas de fazer isso. – implora Mason, olhando para Tessa.

-Preciso, Mason. Tu trais-te a tua família, os do teu sangue. Preciso. – responde Tessa com uma voz fria e séria.

-Eu vou-te matar, sua cabra! – grita Natalie com toda a sua força.

Tessa aproxima-se dela.

-Tu tens mesmo coragem. Estas perante de uma morte iminente e ainda me ameaças. – diz Tessa com um sorriso trocista.

-Tu sabes quantas vezes eu estive perante uma morte iminente? Muitas. E ainda estou aqui, queridinha. – diz Natalie com um sorriso sarcástico.

-Mas esta vai ser a última, porque desta vez vais morrer. – responde Tessa co um voz fria e olhar gelado.

Alex termina de deitar toda a gasolina pelo chão e faz sinal a Tessa.

Tessa agarra num isqueiro e acende-o, atirando depois para o chão, que se incendeia repentinamente.

Alex e Tessa viram costas e saem do velho armazém.

-Eu não quero morrer assim! – grita Mia, aterrorizada.

-Querida, olha para mim. – pede Mason.

Mia vira-se e olha para Mason.

-Mia, vai ficar tudo bem. Eu prometo. – diz Mason com uma voz doce e séria.

As chamas começavam a aproximar-se dos três amigos.

-Temos que fazer alguma coisa para sair daqui! Eu não vou morrer queimada viva. Isso não! – diz Natalie tentando manter a calma. Mas o fumo do fogo começava a provocar dificuldade em respirar.

-Mas como? Estamos presos! – diz Mason, olhando para a morena que se encontrava ao lado de Mia.

-Já sei! – diz repentinamente Natalie. – Mia tu és metade bruxa. Podes fazer o fogo desaparecer e tirar-nos daqui.

-Natalie não sei se consigo fazer magia. Estou demasiado fraca. – responde Mia, tossindo por causa do fumo.

-Só precisas de te concentrar, Mia. Tu és a nossa única esperança. – diz Natalie, olhando para Mia, incentivando-a.

A loira olha para o marido.

-Tu consegues Mia. – diz Mason, sorrindo a seguir.

Mia fecha os olhos, concentra-se e começa a dizer umas palavras em latim. Devagar as chamas começam a extinguirem-se, acabam por desaparecer na totalidade.

-Boa! – diz Natalie feliz. – Agora tira-nos daqui Mia!

Mia volta a concentrar-se e a dizer outras palavras em latim e de repente as correntes que os prendiam partem-se. Eles estavam finalmente livres. Mia beija Mason e depois abraça Natalie.

-Estou a dever-te uma, Mia. – diz Natalie, com um sorriso abraçando a amiga.

-Estas a brincar, este é retribuição de todas as vezes que salvas-te a minha vida. – responde Mia com um sorriso, olhando para a amiga.

- Bem, vamos sair daqui. Eu tenho contas para ajustar. – diz Mason com um ar sério e furioso.

Sem olharem para trás os três amigos saem do armazém abandonado.

Digam o que acharam do capitulo! O que acham que vai acontecer agora? E é verdade só falta mais tres capitulos para acabar a historia :)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:57

New Blood -Capitulo 11

por Silver Sky, em 21.11.15

 

 

Capitulo 11

Mason pára a frente da casa de Tessa e de Alex. Respira fundo e bate a porta. Não esperando muito a porta abre-se, aparecendo Alex e depois Tessa que se encontrava um pouco atrás do rapaz.

-Desta vez, os teus amiguinhos não vieram? – pergunta Alex num tom sarcástico.

-Eu, não pedi ao Cedric nem a Natalie para virem falar com vocês. – responde Mason num tom sério. –Mas posso entrar?

Alex olha para Tessa que assenta com a cabeça. O rapaz desvia-se da entrada e Mason entra.

-O que queres? – pergunta Tessa numa voz ríspida.

-Falar. Convencer-vos a aceitar o meu casamento com Mia. Eu amo-a de verdade. – responde Mason de forma sincera, quase implorando. – Eu não quero começar nenhuma guerra.

-Já esqueces-te aquilo que os vampiros fizeram? Eles veem atacando a nossa alcateia, a nossa família, por séculos! – diz Tessa num tom autoritário e brusco. – Um deles matou o meu pai. E tu estas a pedir-nos para nós fazermos pazes com o inimigo?!

A revelação da morte do pai de Tessa, apanha Mason de surpresa. Tessa olha para Alex e este desaparece da entrada, aparecendo momentos depois enquanto Mason falava:

-Lamento pela morte do teu, Tessa. A sério que lamento. –  Mason tinha uma expressão sincera e triste. – Mas eu amo a Mia de verdade. Porque o nosso amor não pode ser igual ao vosso? – pergunta o rapaz, olhando para Tessa e Alex, que se entreolham.

Mason deveria ter reparado nas alianças de casados. Conclui o casal.

 -Porque ela é o inimigo e vai ser sempre! – diz Alex com alguma ferocidade na voz.

- Um lobisomem não casa com vampiros. Um lobisomem mata vampiros. – diz por fim Tessa de forma séria e fria.

De repente, num movimento rápido, Alex tira uma seringa de trás das costas e espeta-a no braço de Mason, injetando depois a substancia transparente.

Mason começa a sentir-se fraco e cheio de dores.

-Mas que raio? – pergunta Mason com a respiração irregular, perdendo as forças.

-Wolfsbane. – diz Alex, olhando para o amigo, que cai lentamente ao seus pés.

De repente Mason perde os sentidos e cai inconsciente no chão.

Tessa desaparece entrando na cozinha e aparecendo segundos de pois com uma corrente. Alex ajuda a mulher a amarrar Mason.

-Vai buscar o Jeep. Hoje vai ser uma noite longa. – diz Tessa para o marido.

 

Los Angeles, 2012

O relógio de pulso de Mason marcava a meia-noite. O Jeep de Alex pára a frente de um armazém abandonado.

-Porque a Tessa nos pediu para vir aqui?- pergunta Mason, confuso olhando para o amigo.

-Já vais ver. – responde Alex com um sorriso.

Os dois rapazes saem do Jeep e começam andar em direção da entrada do armazém. Alex abre a enorme porta de metal e os dois entram. Lá dentro encontrava-se Tessa e um homem, pendurado de cabeça para trás.

-Ainda bem que chegaram. – diz a rapariga com um sorriso, voltando-se para os dois rapazes.

-O que está a fazer ali um homem pendurado? – pergunta Mason confuso, olhando para Tessa e depois para o homem, que se encontrava meio inconsciente.

-Não é um homem. É um vampiro. – responde Tessa ao amigo. – E tu vais mata-lo.

Mason engole em seco com aquilo que Tessa tinha dito.

-Algum problema? – pergunta Alex, reparando na expressão que Mason tinha feito depois de Tessa lhe dizer que ele ia mata-lo.

-Nós não somos assassinos. – diz por fim Mason, olhando para os dois amigos.

-Tu não estás a perceber… - começa por dizer Tessa. – Ele não é humano. Ele é um vampiro, um assassino, que matou dezenas de lobisomens. Por isso não merece a tua, a nossa piedade. Porque acredita se fosse ao contrário ele mataria-te num piscar de olhos, sem mostrar qualquer compaixão ou piedade. – finaliza, aproximando-se de Mason.

Mason por sua vez fica em silêncio.

-Mason tu precisas de fazer isto. – fala desta vez Alex. – Temos ter a certeza que quando chegar a hora tu sejas capaz de proteger a nossa alcateia, a nossa família.

Mason respira fundo e aproxima-se do vampiro pendurado de cabeça para baixo.

O vampiro olha nos olhos de Mason. O seu olhar era vazio, inexistente de luz ou qualquer sentimento. Mason fecha olhos e quando os abre, estes encontravam-se amarelos brilhantes. A seguir as suas garras crescem e num só golpe, rápido e limpo, Mason corta a garganta do vampiro, manchando o seu rosto com o sangue deste.

 

A noite estava particularmente fria. Mas isso não afetava Natalie, que já estava habituada ao frio. Ela própria era o frio em pessoa. Mas nem sempre Natalie fora assim. Ela já fora bondosa e carinhosa, mas já lá vai o tempo que Natalie tinha uma vida normal e sonhava com um futuro risonho. Esse sonho virou pesadelo no dia em que foi transformada em vampira e o seu futuro risonho tornara-se cada vez mais sombrio a cada ano que passava. A única luz que existia agora no seu caminho era Cedric, que fazia Natalie  manter o equilíbrio entre o bem e o mal. Porque ela ficou de tão maneira envolvida na escuridão desde o momento que perdera a sua humanidade, que começara a gostar desse lado sombrio. Adorava ser temida pelos outros. Dava-lhe um certo poder. Mas era diferente com Mia e com as outras pessoas que Natalie se importava. Mia foi a primeira e a única pessoa que Natalie transformara e as duas tinham criado uma ligação única e forte. Apesar de serem da mesma idade, a morena sentia-se sempre na obrigação de proteger Mia. Considerava-a como uma irmã mais nova, por isso não gostava estar chateada com ela.

Natalie estava de pé quieta a olhar para o mar, sentido ao mesmo tempo a brisa fresca a bater-lhe no rosto, quando de repente sente a presença de Mia.

-Não sabia que eras uma rapariga de praia? – pergunta Mia, aproximando-se de Natalie que se vira para olhar para ela.

-E não sou. Tu sabes disso. – responde apenas a morena.

-És uma rapariga de Inverno. Adoras a chuva e o frio. – diz rapidamente a loira.

-O que posso dizer? Sou uma londrina de gema. – diz Natalie encolhendo os ombros e sorrindo.

Mia também sorri.

-Desculpa. – dizem as duas em uníssono.

-Tu primeiro. – diz Mia.

- Desculpa por me ter metido. Apenas queria ajudar…

-Eu sei, Nat. E desculpa por me ter passado contigo. Tu foste a minha mentora, ajudaste-me a sobreviver como vampira. Mas esta na hora de me deixares resolver os meus problemas sozinha. – diz Mia com um ar terno e sereno.

-Sim, eu sei. – responde Natalie com um sorriso. – Mas se precisares de mim, eu vou estar sempre aqui. – a morena sorri para a amiga.

-Eu sei. – Mia sorri e depois abraça Natalie.

De repente as duas são acertadas por dois dardos, e sentem uma substância a entrar no seu organismo.

-O que é isto? – pergunta Mia alarmada sentindo-se a ficar tonta.

-Verbena. – diz Natalie tirando o pequeno dardo do braço.

De repente as duas perdem os sentidos e caem ao chão.

Natalie e Mia fizeram as pazes *.*! E o flashback de Mason? Intenso não?

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:26

BREVEMENTE....

por Silver Sky, em 20.11.15

 THIS IS (NOT) LOVE... a nova história que vou postar aqui no blog a seguir de NEW BLOOD!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:42

New Blood -Capitulo 10

por Silver Sky, em 18.11.15

 

Capitulo 10

Jessy tinha deixado Kyle a dormir e preparava-se para fazer café. Precisava de uma boa dose de cafeína para arrebitar. Esta situação todo de Kyle, estava deixa-la  esgotada. De repente ouve alguém a bater a porta. Usando a sua velocidade sobre humana apressa-se para a abrir. Era Steven.

-Olá Jessy. – diz Steven.

-Olá. – responde a rapariga, deixando o médico entrar no apartamento.

-O Kyle? – pergunta a seguir Steven com uma expressão preocupada.

-Ele está a dormir. – responde Jessy. – Queres café? Estava mesmo agora a fazer para mim. – oferece a rapariga, caminhando até a cozinha.

-Sim, pode ser. Obrigado. – responde Steven seguindo Jessy até a cozinha.

Jessy serve duas taças de café, dando uma a Steven.

-Mandei uma mensagem ao Cedric a contar o que aconteceu. – diz Jessy. – Ele deve chegar daqui a pouco.

-Eu também mandei uma mensagem ao Cedric. – diz Steven. – Não o queria ter feito, porque Kyle também é minha responsável. Foi por causa de mim que ele se transformou em vampiro. Dei-lhe o sangue de Cedric para o curar mas as coisas deram para o torto. E agora ele esta nesta situação por culpa minha.– Steven tinha uma expressão de culpa no rosto.

-Kyle contou-me tudo, o porquê de ele ser um vampiro. Mas não tens culpa. O que aconteceu foi um azar. – diz Jessy tentado animar Steven. – Kyle já não te responsabiliza por isso, Steven. Ele considera-te como um amigo.

-Eu sei. – diz por fim Steven bebendo o seu café.

Entretanto alguém bate novamente a porta.

-Deve ser o Cedric. – diz Jessy, desaparecendo da cozinha usando novamente a sua velocidade sobre humana.

Ela abre a porta.

-Olá, Jessy. – saúda Cedric com um sorriso, entrando no apartamento.

A seguir Steven aparece da cozinha.

-Desculpa por interrompermos as tuas férias com a Natalie. – diz Steven sentindo-se mal por isso.

- Não, eu fico felizes que me tenham dito o que estava acontecer. – responde Cedric com um sorriso. – Onde ele está? – pergunta a seguir moreno.

-A dormir. – responde Jessy.

Cedric deixa a sua mala no meio do chão e dirige-se até a porta do quarto. Abre-a e entra. Kyle dormia. Cedric dirige-se até a janela e abre as cortinas para o lado, deixando a luz entrar no quarto, acordando Kyle.

-Cedric!? – exclama Kyle confuso, olhando para Cedric.

-Ouvi dizer que estas com problemas. – diz Cedric com um sorriso.

Kyle levanta-se da cama e abraça Cedric.

-Ainda bem que estas aqui. – diz Kyle, largando depois Cedric. – A Natalie?

-Natalie não pode vir porque esta a resolver uns problemas com Mia. – diz Cedric.

-Não faz mal. Eu entendo. – diz Kyle. – Mas Cedric como vamos resolver este problema? – pergunta Kyle com um ar preocupado.

-Eu conheço uma pessoa que nos pode ajudar.

-Quem? – pergunta Kyle curioso.

- Nathan Campbell. Ele é um bruxo, mas vamos ter que ir para Hamptons, é onde ele mora.

 

Viena, 2011

Tinha acabado de anoitecer, Natalie, Cedric e Mia, decidem entrar num bar para beber alguma coisa. A sua estadia na maravilhosa cidade Viena, estava quase a chegar ao fim e eles queriam ir a todos os sítios que conseguissem e este bar foi bem recomendado no Hotel onde eles estavam hospedados.

-Eu vou buscar as nossas bebidas. Já venho. – diz Cedric, afastando-se das duas raparigas.

Natalie e Mia começam a movimentarem-se pelo bar, escolhendo por fim uma mesa que se encontrava num canto do bar. Ao sentarem-se nas suas cadeiras elas são abordadas por um jovem homem elegante, bem parecido, com sotaque britânico.

-Olá. – diz o jovem homem, fazendo um truque de mágica e fazendo aparecer duas rosas vermelhadas.

-Dispenso truques de magia. Na verdade não sou fã de mágicos.- diz Natalie no seu ar arrogante habitual.

De repente o jovem homem estala os dedos e o bar fica silencioso. As pessoas continuavam a falar, mas nenhum som sai das suas bocas.

-Como fizeste isso?! – pergunta Mia surpresa, como Natalie.

-Porque não sou um mágico. Sou um bruxo. – diz o jovem homem com um sorriso. Volta a estalar os dedos e tudo volta ao normal. – Sou Nathan Campbell.

-Mia Curtis. – diz a loira com um sorriso. – E esta minha amiga antipática é Natalie Sullivan. – diz Mia, apontando para Natalie.

Entretanto Cedric aparece com três cervejas.

-Quem é este? – pergunta Cedric desconfiado.

-É Nathan Campbell. É um bruxo. – responde Natalie com um sorriso. – Nathan este é Cedric Bash meu…

-Namorado. – interrompe Cedric rapidamente com um ar arrogante. – Mas o que queres? – pergunta depois o moreno, sentando-se depois numa cadeira.

-Tem calma. Eu não quero roubar a tua namorada. – diz Nathan com um sorriso.

-Não ligues ao Cedric. Ele hoje esqueceu-se de tomar o seu suplemente O+. – diz Natalie com um sorriso divertido.

-Vocês são vampiros?! –pergunta o bruxo surpreso com revelação.

-Sim, porquê? Algum problema? – pergunta Mia com uma expressão séria.

-Não. Pelo contrário. Eu acho os vampiros fascinantes. – responde Nathan com um sorriso. – Como vocês se transformaram em vampiros? Se não é muito inconivente perguntar.

- Eu sou natural de Florença e Natalie transformou-me no 2000, salvando assim a minha vida. – diz Mia. – Isso faz de me mim parte vampira e parta bruxa.

-Tu também és uma bruxa! – exclama Nathan. –  Praticas magia?

- Não com muita frequência. Mas sei alguns truques. – responde Mia com um sorriso.

-Isso é fantástico! – diz o o bruxo com um sorriso. – E vocês qual é vossa história? – pergunta depois Nathan olhando para Cedric e Natalie.

-Eu vivia em Londres, quando fui transformada no ano 1901, por culpa do meu pai, que me vendeu ao vampiro que me transformou. – responde Natalie.

-Eu morava numa quinta em Paris quando em 1800 um vampiro matou toda a minha família e me transformou. – responde Cedric.

-E como vocês se conheceram? – pergunta Nathen curioso.

-Nós fomos transformados pelo mesmo vampiro e desde então nunca mais nos separamos.– responde Cedric, olhando para Natalie.

- Claro que nunca foi um mar de rosas, mas nós não queremos aborrecer-te com as nossas histórias de vida. – diz a seguir Natalie com um sorriso.

-Não. Eu quero ouvi-las. É tão difícil encontrar vampiros que sejam tão pacíficos e que não me queiram matar. – diz o bruxo com um sorriso.

-Bem, alguns de nós não é assim tão pacifico. – diz Mia, olhando para Natalie.

A morena revira os olhas para a amiga.

-Mas contem, contem…eu quero ouvir. – diz Nathan acomodando-se numa cadeira.

 

Porque hoje o dia correu bem :) e apetece-me postar mais um capitulo xd

Que tal o flashback em Viena? Gostaram? Introdução de uma nova personagem AHAHAH.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:13

New Blood -Capitulo 9

por Silver Sky, em 14.11.15

 

Capitulo 9

Natalie fica quieta em silêncio, a ver a sua amiga afastar-se. Cedric aproxima-se dela. Sabia que Mia tinha passado dos limites com aquelas palavras. Mas também Cedric sabia que não eram verdadeiras. Mia adorava e idolatrava Natalie. A morena sempre fora uma mentora para Mia.

-Tu sabes que ela te adora, não sabes. Ela disse aquelas palavras de boca para fora, Nat.

-Ela tem razão, Cedric. – responde a morena olhando para o rapaz. – Eu não resolvo as coisas, eu só as pioro.

-Não é bem assim, Natalie. Tu ajudas-te Arabella e nem sequer gostavas dela. – diz Cedric esboçando um sorriso.

-Uma entre um milhão. Já esqueces-te dos namorados de Mia que eu ameacei e matei. – responde Natalie, com sentimento de culpa.

-Bem, foi mau o que fizeste com esses rapazes. Mas a verdade é que só estavas a tentar protege-la e Mia sabe disso. – diz Cedric, tentando confortar Natalie.

De repente Cedric recebe uma mensagem, seguida de outra. Eram de Jessy e Steven.

-Oh não! – diz Cedric com um ar preocupado.

-O que foi? – pergunta Natalie confusa, olhando para o namorado.

- A mãe de Kyle viu-o no hospital. – responde Cedric, olhando para a morena.

-Cedric, isso é grave. – diz Natalie preocupada. – Tu precisas ir imediatamente para Nova Iorque tratar disso.

-Sim, mas…

-Tu és o mentor dele, Cedric. E Kyle precisa de ti. Eu resolvo as coisas aqui com Mia. – diz Natalie.

-É por isso que te amo. – diz Cedric, beijando Natalie. – Viajo hoje para Nova Iorque.

 

Mia estava na cozinha a preparar um café, enquanto Mason se encontrava sentado numa cadeira a olhar para ela.

-Tu sabes que foste um pouco dura com a Natalie, não sabes? – fala finalmente Mason, depois uns minutos em silêncio.

-Talvez. – responde Mia, virando-se para olhar para Mason.

-Ela só queria ajudar, Mia. – diz Mason, tentando fazer com que Mia visse as verdadeiras intenções de Natalie.

-Esse é o problema de Natalie. Quere sempre ajudar, mas faz sempre por trás das costas das pessoas, não pensando nas consequências que isso pode ter. – diz Mia com uma voz séria e uma expressão firme.

Entretanto Cedric entra na cozinha com uma mala.

-Vais para onde? – pergunta Mason confuso. Como Mia estava.

-Nova Iorque. Kyle precisa de mim. A mãe dele viu-o no hospital. – responde Cedric com um ar sério.

-Isso é grave. – diz Mia com um ar preocupado. – O que podemos fazer?

-Nada. Vocês já têm problemas suficientes para resolver. – responde Cedric. – E já agora, desculpa Mason por irmos falar com Tessa. Só queríamos ajudar. – diz o moreno com um ar arrependido.

-Eu sei disso, Cedric. E não há problema. Eu vou falar com ela e por um fim neste conflito ridículo. – responde Mason.

A seguir Cedric vira-se para Mia.

-E tu, resolve as coisas com Natalie. Tu sabes que ela não fez por mal. – diz Cedric.

A seguir o moreno despede-se dos amigos com um abraço e vai-se embora.

 

Tessa e Alex preparavam-se para arrumar o bar. Lavar copos, varrer o chão e contar os lucros que tinham feito esta noite. Quinn’s bar foi um projeto que os dois decidiram fazer depois de se casarem. Queriam começar algo juntos como uma família.

-A conversa com aqueles dois vampiros foi intensa. – diz Alex, enquanto colocava as cadeiras em cima da mesa.

-Sim, realmente foi. – concorda Tessa, ao mesmo contava o dinheiro sentada a frente do balcão.

-Eu estava a ver que lhe arrancavas a cabeça. – diz a seguir Alex com um sorriso.

-Vontade não me faltou. – responde Tessa, olhando para Alex. - Ela era simplesmente irritante.

Alex coloca a última cadeira em cima de uma mesa e vai ter com Tessa.

-Achas que foi Mason que mandou os seus amiguinhos virem falar connosco?

-Não surpreendia nada. – diz Tessa. – Ele é um covarde.

Alex, agarra numa cadeira e senta-se.

-Estas mesmo disposta a começar uma guerra com Mason? – pergunta Alex com um ar mais sério.

-Mesmo que me custe. Sim. Mas foi ele que começou esta guerra quando nos traiu ao casar-se com aquela vampira. – responde Tessa, também com uma expressão séria.

- Bem. Ele pode ser um de nós mas se tu vais a guerra eu vou contigo a guerra.

Tessa aproxima-se de Alex e beija-o carinhosamente.

-Eu amo-te. – diz depois Tessa, sorrindo.

-Eu também te amo. – responde Alex também com um sorriso beijando de volta Tessa.

O que estão achar da história? Bem as coisas estão a aquecer :)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:03

New Blood - Capitulo 8

por Silver Sky, em 06.11.15

 Capitulo 8

Depois do almoço, Steven agarra num copo, coloca duas pedras de gelo e serve-se de um pouco de uísque, indo até varanda e bebendo. Pensava em Kyle. Pensava de uma maneira de o ajudar. Mas como? Ele era apenas um médico. Cedric fazia falta aqui. Ele saberia o que fazer. Mas Steven não queria interromper as férias do amigo. Não era justo.

Suspirou e voltou a dar mais um gole. Megan aparece entretanto, abraçando o namorado por trás e colocando a sua cabeça sobre o ombro dele.

-Tu estas preocupado com Kyle, não estas? – pergunta loira.

Steven vira-se para encarar Megan.

-Sim, eu quero ajuda-lo. Mas não sei como. E se aqueles ataques de pânico se repetirem? – a charada continuava, mas Steven demostrava um ar preocupado.

-É normal que te sintas responsável pelo Kyle. Mas não podes desesperar, amor. Tu vais conseguir ajuda-lo. Basta apenas estar ali para ele. – diz Megan tentando reconfortar e animar Steven.

-E se isso não for suficiente. E se ele se descontrolar. Como vou ajuda-lo.

Megan suspira.

-Eu sei que não queres incomodar Cedric, por causa das férias. Mas Cedric é irmão dele e deve saber o que está a passar com ele. – diz Megan, olhando para o namorado.

-Pois, acho que tens razão. Cedric se estivesse aqui, saberia resolver isto. – responde Steven, olhando igualmente para Megan.

 

Já tinha passado duas horas e Kyle permanecia ainda sentado no sofá, a olhar fixamente para o ecrã preto da televisão.

Jessy aparece e fica de coração partido ao ver o namorado naquele estado, parado, quieto, a fixar o vazio. Aproxima-se e senta-se no sofá ao lado dele, mostrando-lhe um copo com sangue.

-Eu não quero. – diz Kyle, sem olhar para o copo nem para Jessy.

-Lamento, Kyle, mas tu não tens escolha. O que aconteceu naquele hospital, esgotou as tuas forças. E tu precisas disto para recuperar. – insiste Jessy, colocando novamente o copo a frente do namorado.

Kyle agarra por fim no copo e bebe todo o conteúdo numa só golada. Ele vira-se e olha para Jessy. O seu olhar estava vazio, sombrio e entristecido. Jessy nunca o tinha visto naquele estado.

-O que estas a pensar? – pergunta a rapariga.

-Nos meus pais. Foi tão difícil afastar-me deles. Fazer com que eles acreditassem na minha morte. E culpa de um deslize meu, tudo vai por água a baixo… - responde Kyle, conseguindo-se perceber a culpa no seu tom de voz.

-Mas tu não tinhas como saber que a tua mãe ia estar no hospital aquela exata hora. – diz rapidamente Jessy, tentado aliviar a culpa e o fardo que naquele momento Kyle sentia.

-Mas devia ter mais cuidado.

-Nós vamos resolver isto. – insiste Jessy tentado animar o namorado.

-Como? Nós não podemos voltar no tempo, nem fazer com que a minha mãe esqueça que me viu!

Jessy fica alguns segundos a olhar para Kyle. Levanta-se e estende-lhe a mão. Ele olha para ela confuso.

-Pareces cansado, exausto. Precisas de descansar. – diz Jessy, olhando para Kyle.

-Eu não consigo dormir, Jessy.

-Eu ajudo-te, Kyle. – responde Jessy exibindo um sorriso.

O rapaz agarra na mão de Jessy e os dois vão para o quarto. Deitam-se, ficando virados um para o outro.

-Apenas fecha os teus olhos e deixa-te ir. – diz Jessy, inclinando-se para Kyle, depositando um beijo nos lábios dele.

Kyle agarra na mão de Jessy, entrelaçando os seus dedos com os dela e depois fecha os olhos.

 

 Natalie e Cedric entravam em casa depois da conversa com Tessa e Alex.

-Não vamos contar nada, ok? – diz Cedric, olhando para Natalie.

De repente Mia e Mason aparecem.

-Não contar o quê? – pergunta a loira, olhando para os dois amigos.

-Nós fomos falar com a Tessa. – diz rapidamente Cedric.

-Qual é o teu problema? – pergunta Natalie confusa, olhando para o namorado. – E a conversa de não contarmos nada?!

-Vocês fizeram o quê?! – pergunta Mia um pouco irritada.

-Foi ideia da Natalie, eu só fui para a impedir que fizesse alguma asneira. – responde Cedric.

-Novamente, “qual é o teu problema”?! – volta Natalie a perguntar a Cedric confusa. – E obrigadinha por me entregares.

-E como foi a conversa? – pergunta desta vez Mason que estava muito quieto no seu canto.

-Mal. – responde Cedric.

-Porque fizeste isso, Natalie!? – diz Mia, olhando furiosamente para a amiga. – Já pensas-te que podes ter agravado as coisas?!

-Eu só estava a tentar ajudar. – responde Natalie calmamente.

-Por uma vez na vida pára de ter meter nos problemas dos outros! – diz Mia furiosamente, indo-se embora.

-Eu vou falar com ela. – diz Mason, seguindo Mia.

Mais um Capitulo :) Natalie e Mia chateada :/ e Steven preocupado com Kyle. O que acham que vai acontecer no proximo episódio?

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:07



Caindo das Estrelas

"Caindo das Estrelas" é o meu primeiro livro. Quem estiver interessado e quiser ler passe no site artelogy.com Obrigada