Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]


Young Blood "16"

por Silver Sky, em 15.06.15

 

Capitulo 16

Depois de Lana ter ido buscar Natalie, Cedric e Arabella ao aeroporto. Os quatro vão diretos para um bar que se encontrava num bairro bastante movimentado.

Saem do carro e entram no bar, que estava repleto de pessoas sentadas a frente de mesas de jogo, a tentarem a sua sorte.

-Este é um dos muitos bares, que Giovanni tem espalhados pelo mundo inteiro. – diz Lana com um sorriso, enquanto olhava para os outros três, que observavam tudo a sua volta.

-Deve fazer uma fortuna. – diz a seguir Natalie.

-Sim, faz. – diz Lana com um sorriso. – Agora venham. Eu levo-vos até ele.

Lana começa a movimenta-se pelo bar e Cedric, Natalie e Arabella seguem-na, até uma zona do bar pouca movimentada. A seguir Lana abre uma porta e todos entram na sala que era uma espécie de escritório.

Giovanni encontrava-se sentado numa poltrona antiga de frente para a mesa a ler um jornal e com um copo numa das mãos.

-Bem-vindos. – diz Giovanni educadamente, levantando-se, dobrando o jornal e pousando depois o copo em cima da mesa. –Tu deves ser o Cedric. – diz Giovanni, olhando para o moreno. – Prazer em conhecer-te. Lana disse-me que tu és uma espécie de bom samaritano. – Giovanni estica-lhe a mão, mas Cedric não o cumprimenta.

-Está aqui o dinheiro todo. Por isso Arabella já não lhe deve mais nada. – diz Cedric atirando uma mochila preta que tinha ao ombro para o chão. – Sendo assim já vamos embora.

-Não tão rápido. – diz rapidamente Giovanni com um sorriso.

-Como assim? – pergunta Cedric confuso.

-Não pensavam que eu ia deixar a ladra que me roubou o meu dinheiro ir embora assim sem mais nem menos, pois não? – diz Giovanni com um sorriso, olhando para a pobre Arabella que se encontrava nervosa e assustada.

Natalie confusa olha para Lana, que se limita a encolher os ombros.

-Eu prometi não mata-la. Mas não falei nada de não tortura-la. – Giovani esboça um sorriso malicioso, quase arrepiante.

-Por favor, não! – pede Arabella quase em desespero. – Eu prometo que nunca mais me volta a ver na vida.

Cedric apronta-se para intervir, mas é impedido por Natalie que lhe dá um breve olhar do tipo: não é o nosso problema, não te metas!

Giovanni coloca os dois dedos na boca e assobia. Dois homens vestidos de preto, seus seguranças, entram pelo escritório a dentro e agarram em Arabella e prendem-na a uma cadeira, enquanto Cedric e Natalie permaneciam quietos sem fazer nada.

A seguir Giovanni agarra no copo que minutos atrás tinha não mão e atira com o líquido transparente que este continha para cima da cara de Arabella. A pele do rosto da rapariga começa a queimar e a derreter. A dor era insuportável e sem conseguir evitar Arabella solta gritos de sofrimento. O líquido transparente era verbena.

Natalie engole em seco, olhando para Lana, que permanecia quieta no seu canto, enquanto Cedric serra o punho, furioso por não poder fazer nada.

A seguir Giovanni volta a encher o copo com verbena e num só gole bebe-a toda, como se fosse água.

Cedric e Natalie entreolham-se. Giovanni parecia ser um vampiro muito poderoso. Muito mais poderoso que Colton. E se já foi difícil enfrentar Colton. Seria ainda pior enfrentar Giovanni. Por isso o melhor era não armarem confusão, e ficarem quietos. Também uma pequena tortura não iria fazer mal nenhum a Arabella. Cedric e Natalie também já foram torturados antes e ainda estavam ali vivos.

Depois de Giovanni beber a verbena toda agarra num revolver e aponta-o na direção da cabeça de Arabella que começa a chorar descontroladamente.

-Acho que já chega. Já mostras-te o teu ponto. Arabella já aprendeu a lição. – diz Cedric, interrompendo.

Giovanni desvia a atenção de Arabella e olha para Cedric.

-Acho que tens razão. Aqui a pequena Bella já aprendeu a lição. – diz Giovanni com um sorriso, cariciando depois com a mão o rosto de Arabella que ainda chorava.

A seguir Giovanni faz sinal a Lana e estava rapidamente liberta Arabella das cordas, sendo imediatamente amparada por Cedric que a agarra, impedindo que cai-se ao chão.

-Foi um prazer fazer negócios com vocês. Espero um dia voltarmo-nos encontrar. Mas claro por motivos melhores que estes. – diz a seguir Giovanni com um sorriso atraente.

Natalie olha para Lana.

-Bem, Lana, adeus. Vemo-nos por ai. – diz Natalie esboçando um pequeno sorriso.

-Adeus, Nat. Foi ótimo rever-te. – Lana também sorri.

A seguir os três finalmente se vão embora.

p.s. Capitulo intenso? O que acaharam meninas? Boa leitura :) E desculpem qualquer erro.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:44


1 comentário

Imagem de perfil

De twilight_pr a 15.06.2015 às 19:39

Mas que grande cena o outro bebeu como se não... wow!
Omg!!!!

Comentar post




Caindo das Estrelas

"Caindo das Estrelas" é o meu primeiro livro. Quem estiver interessado e quiser ler passe no site artelogy.com Obrigada